Ética

Código de Ética

Utilizo o tarot como um instrumento de observação e exploração de diversas áreas de vida ou preocupações específicas. Divido as leituras em três níveis: mundano (quotidiano), psicológico e espiritual. Podemos escolher um destes níveis ou abordar todos eles dentro de um tema. Depois de mencionarmos todos os aspectos da leitura descritiva, podemos avançar com novas acções ou padrões de pensamento que servem o desenvolvimento pessoal no sentido de maior bem-estar. Faço interpretações das cartas com base nos meus estudos, na minha experiência de vida e na intuição. 

O tarot mostra uma “fotografia” do futuro e esta previsão baseia-se nas condições do presente e nas acções do passado. Se não gosta dessa fotografia tem a liberdade de a alterar. Todos temos liberdade de tomar decisões no presente que alteram as consequências de acções no passado. 

O tarot é uma linguagem simbólica e cada carta tem vários significados, de acordo com o sistema de interpretação e com as cartas que a rodeiam. Eu traduzo esta linguagem e trabalho consigo para clarificar um assunto, analisar várias hipóteses ou encontrar soluções alternativas. Não classifico as minhas leituras de “terapêuticas” nem reclamo o uso de “poderes especiais”. As leituras presenciais são co-construções entre os clientes e eu, que se fundam no princípio da auto-determinação e potenciam a esperança, o auto-conhecimento, o auto-controlo e a transformação pessoal. 

Não faço aconselhamento médico, legal ou financeiro e recomendo que consulte um técnico nestas áreas, caso precise de ajuda especializada.

Tenho gosto e faço questão de tratar cada cliente com respeito, sensibilidade e compaixão. 

As leituras e qualquer informação revelada durante a sessão são confidenciais. Todas as decisões que tomar a partir da leitura são da sua responsabilidade. O tarot é o oráculo. Eu sou um interprete humano que forma opiniões falíveis. As cartas de tarot abrem portas, mas é o cliente que tem as chaves e que decide o seu caminho.